Rastros

press to zoom

press to zoom

press to zoom

press to zoom
1/20

Rastros

Direção Renato Rocha

2016/2017, Rio de Janeiro - RJ - Brasil / Marseille - França.

PH: Gui Maia

Criado para as celebrações culturais das Olimpíadas do Rio 2016 e para a Bienal Internacional de Artes de Marselha 2017, “Rastros” é uma obra de dramaturgia aberta e a serviço das artes circenses. Uma co-produção entre o Circo Crescer e Viver, o Circo Archaos e o Polo Mediterrâneo de Circo de Marselle, “Rastros” é um espetáculo sobre o indivíduo, a relação dele com um mundo em que vive e as marcas que deixamos nesse mundo. Marcas que podem sugerir uma memória do passado, influenciar escolhas no presente, ou apontar um caminho para o futuro. Que mundo iremos deixar? Que rastros ficarão para serem seguidos?

Crítica:

"DE TIRAR O FÔLEGO"

"Rastros é circo contemporâneo de envergadura internacional, e traz para a cena elementos de originalidade que podem contribuir para a expansão dessa arte.
O risco – presente de forma intensa no trabalho atinge patamares técnicos muito elevados –, aliado à estética vigorosa da dança contemporânea, converge na construção de um embate permanente entre pulsão de morte e impulso vital.
O dramaturgo e diretor francês Antonin Artaud dizia que o teatro deveria ser capaz de fazer o espectador gritar. Pois se chega próximo disso quando algumas imagens agônicas tomam o palco nesse espetáculo de sombria beleza." (Beth Néspoli - Crítica do Festival Sesc Circos)

 

 


Created for the 2016 Olympic cultural celebrations and the 2017 Marseille International Biennial of Arts, "Rastros" (Traces) is a work of open dramaturgy, serving to the circus arts. A co-production between Circus Crescer and Viver, Cirque Archaos and Marselle Circus Mediterranean Pole, "Rastros"; is a spectacle about the individual, our relationship with a world in which we live and the marks that we leave in this world. Traces that can suggest a past memory, influence choices in the present, or point a way into the future. What world will we leave? What trails will be left to follow?

Review:

"BREATHTAKING"

 

Rastros is a contemporary circus of international scope, and brings to the scene elements of originality that can contribute to the expansion of this art.

The risk - present intensely at work reaches very high technical levels -, combined with the vigorous aesthetics of contemporary dance, converges in the construction of a permanent clash between the death drive and vital impulse.

The French playwright and director Antonin Artaud said that the theater should be able to make the spectator scream. For it comes close to this when some agonizing images take the stage in this spectacle of dark beauty." (Beth Néspoli - review of the Sesc Festival Circos)

Link vídeo: https://youtu.be/IscPGuheDQA